domingo, 1 de março de 2015

Comentando sobre:SONETOS de Florbela Espanca (livro)


 SINOPSE: Sonetista excelente, Florbela Espanca expressa suas emoções em linguagem telúrica, de imagens fortes, impregnadas de verdade física e arrebatamento.
Poetisa de um lirismo fortemente marcado por sua terra, pôs em versos, de aparência parnasiana, o erotismo e a liberdade que expressou e assumiu pioneiramente na obra como na vida.
Esta edição inclui os sonetos publicados em: Livro de Mágoas (1919), Livro Soror Saudade (1923), Charneca em Flor (1930) e Reliquiae (1931)

COMENTÁRIOS: Bom, não sou uma dominadora quando o assunto é poesia, então não me acho no direito de julga-la, porem, os Sonetos de Florbela conseguiram finalmente me trazer esse gostinho que as pessoas sentem quando se encontram dentro da poesia, quando os versos e estrofes começam a fazer sentido, quando você de fato se identificada com o poema. O livro traz dezenas de pequenos poemas então não posso dizer que amei todos, acho ate que isso seria impossível, mas alguns deles tenho certeza que vou ler e reler ao longo da vida, e cada vez terá um significado diferente.
Bom, Florbela é um poetisa bastante romântica, bastante mesmo, então se você não curte muito aquele romance um tanto meloso, não te indico, ate mesmo eu as vezes me enchia um pouco com tantos 'beijos' no meio dos poemas, e quando digo beijo, me refiro a palavra beijo mesmo que aparece em pelo menos 80% de seus poemas, kk
Mas enfim, foi um bom pé direito no meio da poesia, e valeu a experiência.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Comentando sobre: ONCE UPON A TIME (série)


SINOPSE:  Na cidade fictícia de Storybrooke, no Maine, Regina (Lana Parrilla) é uma rainha má que rouba memórias graças à maldição obtida por meio de Rumplestiltskin (Robert Carlyle). Suas vítimas viveram, portanto, uma realidade imutável durante 28 anos, sem ter qualquer noção de sua idade. Todas as esperanças estão depositadas em Emma Swan (Jennifer Morrison), filha da Branca de Neve (Ginnifer Goddwin) e do Príncipe Encantado (Josh Dallas). Ela é a única pessoa com a capacidade de quebrar a maldição e recuperar as lembranças perdidas, pois foi transportada do mundo de conto de fadas antes de ser atingida pelo feitiço.

COMENTÁRIOS:Não sei se devo recomendar Once Upon a time porque minha relação com a serie é bastante controversa, uma relação de amor e ódio assim por dizer.
Acho a premissa da  serie bastante interessante, essa ideia de fazer adaptações em contos de fadas sempre me interessou. O que não me agrada na serie é justamente o desenvolvimento, acho-a muito enrolada, do tipo que demora uma temporada pra algo acontecer sabe? O problema é que sou muito teimosa e continuei aos trancos e barracos ate chegar a 3ª temporada, a melhor ate esse momento, pronto, se eu fosse recomendar alguém assistir OUAT eu recomendaria que começasse pela terceira temporada, kk
Bom, se vocês não foram convencidos pelo meu discurso motivador, saibam que conheço muitas pessoas que simplesmente amam de paixão a serie, então talvez o problema seja comigo, ;)

sábado, 17 de janeiro de 2015

Comentando sobre: CARTA AO PAI (livro)



SINOPSE: Entre os dias 10 e 19 de novembro de 1919, Franz Kafka, insatisfeito com a fria recepção paterna diante do anúncio de seu noivado com Julie Wohryzek, escreveu ao pai, o comerciante judeu Hermann Kafka, uma longa carta – mais de cem páginas manuscritas. Kafka tinha então 36 anos, uma vida pessoal acanhada – nunca se casara ou constituíra família –, uma carreira mediana de funcionário burocrático e uma ambição literária ainda longe de estar realizada. Na carta, que nunca foi enviada ao destinatário original, Kafka põe a nu toda a sua mágoa em relação ao pai autoritário, que ele chama, alternadamente, de "tirano", de "regente", de "rei" e de "Deus". Em uma experiência virtuosística de autoanálise, além de uma belíssima peça literária, ele mostra como, a seu ver, o jugo paterno minou-lhe a autoestima, condenando-o a uma personalidade fraca e assustada.

COMENTÁRIOS: Bom, como começar falando de um livro que me marcou tanto? Carta ao pai, como o titulo ja diz, trata-se de uma carta escrita pelo próprio Kafka e como destinatário seu próprio pai. Considero o livro/carta um enorme desabafo de Kafka, e talvez por isso tenha gostando tanto, ele vou verdadeiro e sem rodeios. Não acho que seja um livro que todos irão amar, inclusive acho que alguns podem odiar, e odeiam, mas no meu caso eu consegui enxergar algo que não costumo ver nos livros atualmente: a despretensão. Não estou aqui dizendo que Kafka era um santo e seu pai um monstro, afinal toda historia tem dois lados e so consegui enxergar um, mas em todo situação em que ficamos magoados com alguém não acabamos exagerando um pouco? então, quem poderá culpa-lo.?
So sei que o livro despertou minha curiosidade e pretendo sim, ler outros livros do autor.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Porque "Comentando sobre" e não "Resenha"

Bem, resolvi escrever esse post logo pra decifrar esse enigma: Porque meus posts são Comentando sobre e não resenha? Bem, desde que assisti um vídeo da Juliana Gervason do canal O Batom de Clarisse (https://www.youtube.com/user/juligervason/videos) em que ela trata/da uma pequena aula do que deve ser uma resenha de verdade e de como hoje em dia esse termo esta sendo usado banalmente, e eu que mesmo antes de assistir esse vide já concordava com sua opinião, não achei justo usar o termo "resenha" para as minhas singelas opiniões que posto aqui no blog, que não passam disso, opiniões pessoais.
E venhamos e convenhamos que o titulo do blog casa muito bem com a escolha ne? ;)
Então, espero que tenham compreendido e aprovado, beijos.
Ah, não deixem de conferir o vídeo da Ju:

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Comentando sobre: A ONDA (filme)



ENREDO: Rainer Wegner, professor de ensino médio, deve ensinar seus alunos sobre autocracia. Devido ao desinteresse deles, propõe um experimento que explique na prática os mecanismos do fascismo e do poder. Wegner se denomina o líder daquele grupo, escolhe o lema “força pela disciplina” e dá ao movimento o nome de A Onda. Em pouco tempo, os alunos começam a propagar o poder da unidade e ameaçar os outros. Quando o jogo fica sério, Wegner decide interrompê-lo. Mas é tarde demais, e A Onda já saiu de seu controle. Baseado em uma história real ocorrida na Califórnia em 1967.

COMENTÁRIOS: Bem, primeiro preciso dizer que fiz esse post só como desculpa para recomendar esse filme, porque para comentar sobre ele ou qualquer coisa do tipo eu não consigo.
Como podem ter visto logo ai em cima o enredo parece um daqueles que você sabe o que vai acontecer, mas acredite, você não sabe. E obviamente não iria contar. So peço que assistam o filme e descubram porque mexeu tanto comigo. Então, imaginam quando descobri que um filme que me deixou tão angustiada foi baseado em uma historia real? Enfim, se ja assistiram e comentem ai embaixo o que acharam e se não assistiram, por favor, assistam. (Serio, preciso conversar com alguém sobre ele)

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Comentando sobre: GHOSTGIRL (livro)



SINOPSE: Charlotte Usher está no último ano do ensino médio e se sente praticamente invisível na escola, até que um dia fica invisível de verdade. Pior ainda: morre. E tudo por causa de um cara e uma bala de goma. Mas ela está tão desesperada para ser popular que o desejo permanece mesmo após sua morte repentina. Aproveitando suas habilidades de fantasma, Charlotte não descansará enquanto não conseguir o amor de Damen, o garoto dos seus sonhos.

COMENTÁRIOS: Após uma ressaca literária, resolvi pegar algo bem leve pra ler e acertei em cheio, Ghostgirl é daquele tipo de livro que poderia inspirar um filme da Disney que passa na sessão da tarde, sabem?
Justamente não ha muito o que comentar sobre o livro, não vai acrescentar nada em sua vida e você o lê em uma tarde, então só penso em recomenda-lo caso você assim como eu esteja em uma baita ressaca literária e não quer ficar pensando e refletido sobre o livro que esta lendo sabe? So ler por simples diversão.
PS: Esse é o primeiro volume de uma trilogia e aparentemente os outros não serão lançados no Brasil, então se você assim como eu não gosta de deixar series pela metade, não recomendo ler (quando li não sabia que era uma serie :(

domingo, 11 de janeiro de 2015

Comentando sobre: A MENINA QUE ROUBAVA LIVROS (livro)

 

SINOPSE: A trajetória de Liesel Meminger é contada por uma narradora mórbida, surpreendentemente simpática. Ao perceber que a pequena ladra de livros lhe escapa, a Morte afeiçoa-se à menina e rastreia suas pegadas de 1939 a 1943. Traços de uma sobrevivente: a mãe comunista, perseguida pelo nazismo, envia Liesel e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal se dispõe a adotá-los por dinheiro. O garoto morre no trajeto e é enterrado por um coveiro que deixa cair um livro na neve. É o primeiro de uma série que a menina vai surrupiar ao longo dos anos. O único vínculo com a família é esta obra, que ela ainda não sabe ler.

Assombrada por pesadelos, ela compensa o medo e a solidão das noites com a conivência do pai adotivo, um pintor de parede bonachão que lhe dá lições de leitura. Alfabetizada sob vistas grossas da madrasta, Liesel canaliza urgências para a literatura. Em tempos de livros incendiados, ela os furta, ou os lê na biblioteca do prefeito da cidade.

A vida ao redor é a pseudorrealidade criada em torno do culto a Hitler na Segunda Guerra. Ela assiste à eufórica celebração do aniversário do Führer pela vizinhança. Teme a dona da loja da esquina, colaboradora do Terceiro Reich. Faz amizade com um garoto obrigado a integrar a Juventude Hitlerista. E ajuda o pai a esconder no porão um judeu que escreve livros artesanais para contar a sua parte naquela História. A Morte, perplexa diante da violência humana, dá um tom leve e divertido à narrativa deste duro confronto entre a infância perdida e a crueldade do mundo adulto, um sucesso absoluto - e raro - de crítica e público.

COMENTÁRIOS: Fiquei pensando por muito tempo como falar sobre A menina que roubava livros e não consegui, sei que ja existe milhoes de resenhas e criticas dele por ai então relevem se meus comentários forem desajeitados.
Como todo mundo ja sabe, a historia se passa durante a segunda guerra mundial e é contada através dos olhos de ninguém mais ninguém menos que a própria morte, um dos motivos de eu particularmente querer le-lo, alem é claro que adoro historia e a segunda guerra mundial é uma das minhas partes favoritas.
Enfim, o livro não trata-se disso (ou melhor, não apenas disso), ele conta a histria da Liesel, uma garota que presencia a morte algumas vezes e que advinhem so, adora ler, acho que esse foi um dos principais motivos de nos, leitores, nos identificarmos tanto com a Liesel não é mesmo? Por exemplo eu consegui sentir o que ela estava sentindo quando passava a mão em varias estantes de livros, ae hoje me da arrepios como eu me senti no lugar dela e como era maravilhoso.
A menina que roubava livros pode não ser exatamente o meu livro favorito, mas foi marcante na minha vida.
Como eu disse, esse pequeno texto não tem muita coesão e coerência, mas o que quero dizer é que apesar de ser uma leitura as vezes redundante (o narrador adora ficar dando voltas no tempo e espaço) recomendo sim, A menina que roubava livros para todos e de todas as idades.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Comentando sobre: FIQUEI COM O SEU NUMERO (livro)

 


SINOPSE: A jovem Poppy Wyatt está prestes a se casar com o homem perfeito e não podia estar mais feliz... Até que, numa bela tarde, ela não só perde o anel de noivado (que está na família do noivo há três gerações) como também seu celular. Mas ela acaba encontrando um telefone abandonado no hotel em que está hospedada. Perfeito! Agora os funcionários podem ligar para ela quando encontrarem seu anel. Quem não gosta nada da história é o dono do celular, o executivo Sam Roxton, que não suporta a ideia de haver alguém bisbilhotando suas mensagens e sua vida pessoal. Mas, depois de alguns torpedos, Poppy e Sam acabam ficando cada vez mais próximos e ela percebe que a maior surpresa da sua vida ainda está por vir.

 COMENTÁRIOS:  Por isso não sou muito fã de comprar livro pela sinopse, quem diria que com uma sinopse dessas esse livro se tornaria um dos mais (se não o mais) engraçado livros que ja li?!
Com a protagonista mais desastrada ja escrita (me identifiquei de cara), qual você acha que ela vai resolver uma situação, ela se mete em outra confusão. O livro tornou-se um dos meus favoritos la pra 4ª pagina. :D
Foi meu primeiro livro da Sophie kinsella e também meu primeiro chick lit, mas sinto que a autora e o gênero ainda irão me proporcionar otimos momentos.
 Recomendo Fiquei com o seu numero da  Sophie Kinsella pra todo mundo, desde aquela priminha que ta começando na leitura ate sua mãe, tia, enfim.